Marca Botões e Esquadrões
A Argentina desembarcou na Espanha com o status de campeã mundial. Defesa entrosada, com todas as peças de 1978 e reforçada com um dos maiores jogadores do mundo  no seu elenco, Diego Armando Maradona. Eram ingredientes suficientes para torná-la uma das favoritas ao título.
 
O início, com derrota, não foi animador, mas o revés diante da Bélgica foi logo esquecido com os 4 x 1 na Hungria e os 2 x 0 no El Salvador.
 
Ao lado de Brasil e Itália, formou um grupo considerado dificílimo na segunda fase, de onde apenas uma seleção se classificaria para a semifinal. Superada pela Squadra Azzurra, que imprimiu uma fortíssima marcação individual em Maradona, principalmente com o "carrapato" Gentile, e categoricamente batida pela seleção canarinho, os hermanos voltaram mais cedo pra casa. Maradona, sem poder mostrar toda a sua genialidade, perdeu a cabeça e acertou um golpe baixo no volante Batista, (o que ocasionou sua expulsão)  despedindo-se tristemente da competição. Apesar dos pesares, o selecionado de Fillol, Passarella, Kempes e "El Pibe de Oro" foi mais um grande esquadrão na Copa da Espanha.
Defesa:
7.Fillol; 14.Olguín, 8. Luís Galván, 15.Passarella e 18.Tarantini (a defesa da Copa de 78);
Meio-Campo:
3.Barbas, 1.Ardiles e 10.Maradona;
Ataque:
4.Bertoni, 5.Calderón e 11.Kempes.
Os atacantes Ramón Díaz, ídolo do River Plate, e Valdano, futuro campeão mundial no México, em 1986, também participaram.

Técnico: César Luís Menotti

 
 
4 x 1  na Hungria, o melhor momento da Argentina na Copa da Espanha.

Comentários

Desenvolvido com por tavares.in