Marca Botões e Esquadrões

Por Moisés Correia
Fotos: Lucas Uebel - Grêmio FBPA

 

Enfrentar adversário argentino nunca foi fácil para time brasileiro, agora enfrentar adversário argentino em finalíssima de Libertadores e levantar a taça na casa dos hermanos é algo loco de especial. Mais que um time forte e aguerrido, o Grêmio mostrou eficiência técnica, disciplina tática e muita categoria para, a laço de espora, tornar as coisas bem mais fáceis na partida desta quarta-feira (29), no estádio La Fortaleza, na vitória de 2 x 1 diante do Lanús.

Primeiro Tempo de luxo

O primeiro tempo do Tricolor foi quase irrepreensível, com marcação adiantada, a equipe jogou de forma compactada, dificultando o bom passe da equipe argentina, que em muitos momentos errou esse fundamento, oferecendo ao Grêmio a possibilidade do contra-ataque, que foi fatal aos 26 minutos de jogo, quando Fernandinho, em altíssima velocidade, deixou dois marcadores na saudade e estufou a rede.  

Todos eles merecem

O meia-atacante Luan, vice artilheiro com 8 gols, merece, porque em plena finalíssima, quando é difícil até mesmo achar a bola, ele não só a encontrou, mas também a conduziu com a categoria dos craques e acomodou a redonda carinhosamente no fundo das redes, marcando talvez um dos mais belos tentos da competição. Renato Gaúcho merece, e definitivamente os melhores momentos da história do Grêmio, até aqui, levam o nome dele, esse Grêmio de Renato que mais uma vez vai em busca do mundo. Todos esses caras merecem, porque é raro ver um time brasileiro levantar a Libertadores com tanta propriedade.

Comentários

Desenvolvido com por tavares.in