Marca Botões e Esquadrões
Não me foi possível homenagear o Santos pelo seu centenário no dia 14 de abril, mas ainda há tempo. Abaixo, mais uma emblemática equipe do Peixe da Era Pelé, que iniciava, com um ataque arrasador, uma série de conquistas que culminou com o bicampeonato Mundial em 1963. 

Na defesa, destaque para o lateral-esquerdo Dalmo, e à frente da zaga, Zito. Na linha de frente, além dos pontas Dorval e Pepe, o toque de classe de dois cracaços que entraram para a história alvi-negra: o meia Jair Rosa Pinto e o centroavante Pagão. 

Além do futebol brilhante dessa fantástica equipe do final dos anos 1950, que a conduziu ao título estadual, nos chama também a atenção um curioso detalhe, o escudo na camisa santista é diferente do tradicional. Alguns dizem que esse detalhe se deve ao fato de que as camisas encontravam-se desbotadas, outros dizem que foi um modelo moderno, experimental... caso algum representante do Peixe queira apresentar uma nova versão para os escudos, pode ficar à vontade.

Distintivo desbotado à parte, a marca do Santos de Pelé está estampada no coração da sua torcida com cores firmes e fortes.

Santos Campeão Paulista de 1958
Esquema: 2-3-5 (ultra ofensivo) 
1.Manga; 
4.Ramiro e 3.Dalmo (laterais);
2.Urubatão, 6.Getúlio (zagueiros de área) e 5.Zito (cabeça de área);
7.Dorval,  8.Jair Rosa Pinto, 9.Pagão, 10.Pelé e 11.Pepe (meias e atacantes).
Técnico: Lula


O escudo desbotou mesmo, entende?

Comentários

Desenvolvido com por tavares.in